Geral

SC: “FAKE” – Imagens chocantes de carne de cachorro estão circulando nas redes sociais, delegado explica

Por  | 

Imagens chocantes que mostram a suposta apreensão de carne de cachorro em Santa Catarina começaram a circular na internet após a operação policial em Morro da Fumaça.

>> PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DE NOTÍCIAS <<<

A Polícia Civil apreendeu na última quinta-feira (16), mais de 500 kg de carne em um CTG (Centro de Tradições Gaúchas) do município. As carnes, no entanto, podem ser de cavalo ou mula e não de cachorro.

O delegado Ulisses Gabriel, que comandou a operação, afirmou que mensagens que circulam na internet sobre a descoberta de carne de cachorro em SC são fake news.

Fotos de cães presos em canis em condições precárias e em abatedouros foram compartilhadas em um aplicativo de mensagens como se retratassem o que foi descoberto em Morro da Fumaça.

As imagens, no entanto, são de 2019. A ocorrência envolve a prisão de uma família suspeita de vender carne de cachorro em uma feira no Espírito Santo.

Relembre o caso:

A Operação Hefesto, da Polícia Civil, resultou na apreendeu de 520 kg de carne supostamente de cavalo ou mula em um CTG, no bairro Frasson. Além disso, ao menos cinco pessoas foram presas em flagrante, duas por tráfico de drogas, um por desacato e dois por crime contra o consumidor.

A operação policial foi realizada visando apurar furto de gado, venda de carne de cavalo e mula moídas para consumo humano, posse e venda de armas, venda de produtos veterinários falsificados, tráfico de drogas e receptação. Um grupo estaria cometendo os crimes.

As investigações iniciaram através da Delegacia de Polícia de Morro da Fumaça em maio de 2021.

Conforme apurado pelo colunista do ND+, João Paulo Messer, a apreensão das carnes impróprias não surpreendeu os moradores do município. O que se questiona agora é para onde se destinava essa carne e se os compradores sabiam ou não do repasse deste tipo de carne.

 

Fonte: ND+

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *