Geral

BRASIL: Programa do Governo Federal que dá prêmio para quem economizar energia começa em setembro

Por  | 

O consumidor que utilizar menos energia poderá ganhar um prêmio do Governo Federal. O Ministério de Minas e Energia divulgou um plano para a redução do consumo de energia no país durante este período de crise hídrica. A ideia é que o programa comece a valer já em setembro deste ano. Entre as medidas está a premiação para o consumidor que reduzir o uso de energia, além de descontos na conta de luz. O governo descarta um possível racionamento de energia no país, mas determinou esta medida, que na prática será voluntária.

O secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Christiano Vieira da Silva, explica como vai funcionar o programa. “O que está sendo estruturado? O estabelecimento de metas, de redução. Esta meta estará identificada na conta e o consumidor que, voluntariamente, atender à redução estipulada naquela meta, ele vai ter dois benefícios: uma conta menor, porque reduziu o consumo, e a premiação por ele ter reduzido o consumo, conforme a meta, em um momento em que o sistema está gastando muitos recursos para atendê-lo. Ganha o consumidor que reduziu, porque vai ser premiado, e também ganha o consumidor que não reduziu”, ressalta. O ministério ainda não divulgou qual será o prémio para quem poupar mais energia.

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, reforça a importância da colaboração da população na redução de consumo. “É o fato do consumidor comercial, de serviços, rural, residencial e também o serviço público poderem dar esta contribuição neste momento de esforço da nação para suportar e ultrapassar este período de escassez hídrica. Importante ressaltar que o programa é voluntário, então caberá ao consumidor avaliar sua possibilidade de reduzir. Ele tem a opção de ter dois benefícios. Ao reduzir o consumo, paga-se uma conta menor, e se reduzir de acordo com as regras do programa, tem o benefício de ainda ganhar um prêmio por isso”. Atualmente, os brasileiros estão pagando mais caro na conta de luz por conta da taxa extra do sistema de bandeira tarifária.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, destaca que o sistema não é uma punição para quem gasta mais, mas uma forma de compensar o alto custo da energia neste período de seca. “A bandeira não é uma penalização, a bandeira reflete o custo da energia. Como estamos vivendo condições excepcionais, e excepcionais no sentido de que a nossa hidrologia tem sido continuamente desfavorável, o custo da geração de energia aumentou e as bandeiras refletem a este custo mais elevado da geração de energia para fornecimento da energia ao consumidor”, explica.

De acordo com Bento Albuquerque, o Brasil passa pela pior crise hídrica dos últimos 90 anos. A falta de chuva afeta a produção de energia hidrelétrica, o que faz o governo recorrer à produção de energia termelétrica, que é mais cara para o consumidor.

 

 

Por Luis Ricardo Machado

Rede de Notícias Regional /Brasília

Crédito da foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado