Geral

Hospital Regional de Rio do Sul, poderá contar com nova UTI em 20 dias

Por  | 

A nova Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional de Rio do Sul, que vai receber pacientes suspeitos e confirmados com COVID-19, poderá entrar em funcionamento dentro de 20 dias. A definição deu-se após a segunda reunião que discutiu a viabilidade envolvendo os representantes da Federação dos Hospitais de SC, Fusavi, Prefeitura, Câmara de Vereadores, Ministério Público e Hospital Samária, que vai receber 10 pacientes que estão internados na clínica médica do Regional. A nova UTI contará com 10 leitos, mas o seu funcionamento dependerá ainda da Secretaria de Estado da Saúde disponibilizar respiradores, monitores, kits de intubação, além de medicamentos.

O diretor-executivo do Hospital Samária, Roberto Ferrari, adiantou que os 10 leitos já estão disponíveis para receber os pacientes do Regional. “Diante da necessidade de ampliarmos a oferta da UTI para que não ocorra o mesmo que em Chapecó a direção entendeu a situação”. Ferrari observou que nenhum caso suspeito, ou confirmado, será transferido. “Essa parceria das instituições mostra a união de forças, em prol das pessoas das pessoas do Alto Vale do Itajaí”.
O prefeito de Rio do Sul, José Thomé, anunciou que a Câmara de Vereadores aprovou nesta segunda-feira (8), em sessão extraordinária, projeto de lei que disponibiliza a cessão de oito médicos, quatro enfermeiros, além de 10 técnicos para o Hospital Regional. “Todos já estão à disposição a partir desta quinta-feira para passar por treinamento na UTI/COVID”. O prefeito elogiou a iniciativa destes profissionais, que atendem nas unidades básicas do município. “Da nossa parte o reconhecimento e gratidão por aceitarem a trabalhar linha de frente neste momento do agravamento da pandemia”.


O 1º vice-presidente da Fusavi, Vilson Schulle, destacou que graças a esse esforço concentrado será possível a criação dos 10 novos leitos. “Essa situação que atinge outras regiões também vai chegar aqui e por isso precisamos nos preparar”. Ele disse que agora o Regional fará adequações no quinto andar, na ala de enfermaria que recebe os casos suspeitos e confirmados. A Promotora de Justiça, Caroline Veloso, também passou a integrar a comissão. Ela disse que desde o início da pandemia o MPSC vem acompanhando a situação. “Não é apenas a nova UTI que vai resolver o problema”. “A população precisa fazer a sua parte seguindo as regras sanitárias, principalmente de isolamento social”.

Com a definição dos novos leitos, o presidente da FEHOESC, Giovani Nascimento, encaminhou ao secretário-adjunto de Estado da Saúde, Alexandre Fagundes, a relação dos equipamentos e insumos para a criação dos leitos. “Ele nos garantiu prioridade no atendimento”. Nascimento observou que em Rio do Sul só não existe fila de espera aguardando transferência porque três pacientes estão internados na UTI geral.

 

 

 

Assessoria de Imprensa