Geral

Santa Catarina registra primeiro caso de nova variante de Covid-19

Por  | 

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina recebeu na manhã desta quinta-feira (11), a confirmação do primeiro caso de uma nova variante de coronavírus em solo catarinense. Segundo informações obtidas pela reportagem do SCC 10, o paciente de Joinville, de 55 anos, infectado com a nova variante esteve internado mas já recebeu alta médica.

De acordo com nota divulgada pela Secretaria Municipal da Saúde de Joinville, o homem foi contaminado pela variante do coronavírus que tem origem na linhagem que circula no Amazonas. Ele tem histórico de viagem para Manaus, de onde retornou em 16 de janeiro. No mesmo dia, ao apresentar falta de ar, buscou atendimento na Unidade de Pronto-atendimento Leste.

Ainda segundo informações do município, o paciente foi encaminhado para internação no Hospital Bethesda. Após oito dias hospitalizado, teve alta em 25 de janeiro, com quadro estável. A Secretaria da Saúde realizou busca ativa com os familiares do homem, que não apresentaram nenhum sintoma ou evidência de contaminação.

Por questão de segurança e controle, todos os profissionais que estiveram envolvidos com o atendimento deste caso na UPA Leste e no Hospital Bethesda passarão por coleta de exames. Caso algum destes profissionais apresente caso positivo para Covid-19, será submetido ao teste do sequenciamento genético. Cabe destacar que este caso é tratado como uma situação isolada. Neste momento, não há indícios de contaminação comunitária desta variante na cidade”, afirmou a Secretaria Municipal da Saúde de Joinville.

Segundo informou o Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, a amostra com resultado positivo, foi encaminhada posteriormente à FIOCRUZ para sequenciamento genético, por se tratar de paciente com histórico de deslocamento para região com identificação de nova variante.

Protocolos de cuidados com variantes do coronavírus

O Governo do Estado tem reforçado com profissionais da saúde protocolos de cuidados sobre as novas variantes do vírus SARS-CoV-2. A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC), enviou um documento às equipes com as medidas que devem ser adotadas para identificar possíveis mutações. Também foram redobrados cuidados com os profissionais que estão tendo contato com pacientes transferidos de Manaus.

A Secretaria da Saúde de Santa Catarina elaborou um protocolo seguro para os profissionais envolvidos no atendimento. As medidas que incluem testagem regular visam reforçar a biossegurança de Santa Catarina durante esse apoio.

Protocolos

Além disso, há uma orientação sobre a conduta das equipes de vigilância em saúde na hora de avaliar os casos suspeitos de Covid-19, no sentido de se verificar o histórico de viagens dos pacientes. As regiões de risco citadas são África do Sul, Reino Unido e a região Norte do Brasil – Tocantins, Pará, Amapá, Roraima, Amazonas, Acre e Rondônia.

Nesses casos, as amostras coletadas estão sendo encaminhadas para o Laboratório Central de Santa Catarina, (Lacen/SC), que encaminhará ao laboratório de referência Fundação Osvaldo Cruz (FIOCRUZ/RJ) para identificação de novas variantes.

No caso das equipes que acompanham os pacientes vindos de Manaus, a orientação é para testagem constante dos profissionais, além de adotar todos os protocolos de biossegurança. Santa Catarina já realizou até o momento 768.479 testes RT-PCR, 664.227 rápidos e há quase cinco mil em análise no Lacen.

O que significa uma nova variante?

A presença de mutações é um processo natural na biologia dos vírus, porém algumas delas podem gerar diferenças dentro de um grupo genético que são denominadas variantes. Elas, por sua vez, podem representar um impacto na saúde pública caso apresentem um potencial de maior transmissibilidade ou gravidade da doença. Desde a identificação inicial do vírus SARS-CoV-2, o vírus sofreu inúmeras mutações. A nova variante denominada P.1, linhagem B.1.1.28, foi descoberta em dezembro de 2020, quando o Japão a identificou um grupo de viajantes brasileiros. Sua origem foi determinada em Manaus.

Desde então, investigações epidemiológicas e virológicas adicionais estão sendo realizadas para avaliar a transmissibilidade, gravidade, risco de reinfecção e a resposta de anticorpos a novas variantes, bem como seu potencial impacto nas medidas de saúde pública, incluindo diagnóstico, tratamento e vacinas.

Quantas novas variantes do vírus SARS-CoV-2 já foram detectadas?

Além de Manaus/Amazonas, a Variante P.1, e Rio de Janeiro P2, outras duas variantes também foram reconhecidas no mês de dezembro na África do Sul e no Reino Unido. A Variante VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7, p.e., é a que mais parece ter aumentado a transmissibilidade de contágio, comparada com as outras. A outra variante é a 501.V2, linhagem B.1.351, que teve origem na África do Sul.

 

 

SCC10