Geral

Pouso Redondo procura voluntários para mutirão

Por  | 

Uma iniciativa inédita da prefeitura de Pouso Redondo busca voluntários para cuidar de animais de rua durante alguns dias depois deles passarem por uma castração gratuita. Os tutores ficariam cuidando dos cães e gatos enquanto eles se recuperam, já o projeto Ponte de Adoção tentaria encontrar lares definitivos nesse período. Caso isso não seja possível eles voltariam para as ruas quando já estiverem saudáveis.

A Prefeitura de Pouso Redondo vai custear a castração de animais que vivem nas ruas e com famílias carentes, e para que o maior número possível seja atendido busca pessoas que aceitem cuidar voluntariamente dos cães e gatos, administrando medicação e garantindo que eles não fujam. Todos os remédios e alimentação serão fornecidos para os tutores.

Nesse meio tempo, o projeto social Ponte de Adoção, fará uma campanha envolvendo o animal. O coordenador do projeto, Fabricio Meriz, explica que além de ajudar o poder público e evitar problemas de saúde até mesmo para os humanos, essa é uma oportunidade da comunidade conhecer os animais e quem sabe decidir ficar definitivamente com eles. “Hoje temos uma superpopulação de cães e gatos em Pouso Redondo e isso é um problema também para a saúde pública. Eles não castrados acabam se proliferando cada vez mais e mais. Além do sofrimento deles, os cães e gatos na rua podem causar acidentes e doenças”, disse.

Ele explica ainda que enquanto não é possível construir um abrigo temporário para animais de rua, a castração é uma forma de amenizar o problema e evitar que ele se agrave. “Não é necessário adotar o animal permanentemente. A pessoa cuida por sete dias, dá os remédios quatros vezes por dia, e quando os pontos secam a gente tira os pontos e encaminha para um lar definitivo ou então devolve para as ruas, mas pelo menos estão castrados”, esclarece.

A agente de controle de endemias e zoonoses, Odaiza Marconcini, revela que além dos animais de rua, famílias carentes também são beneficiadas pelo projeto. Para saber se tem direito a castração de seus animais os interessados precisam fazer um cadastro junto a Assistência Social. “As famílias carentes tem que passar pela assistente social, lá ela pede documentos que comprovam que a pessoa necessita do beneficio que é a castração”, afirma.
Para ser um cuidador temporário, o interessado deve entrar em contato com a agente de controle de endemias e zoonoses no número (47) 98823 6875. A intenção é seguir castrando o maior número de animais possível.

 

 

 

Reportagem: Helena Marquardt/Diário do Alto Vale