Geral

Contadora é acusada de pagar quase 300 boletos pessoais com recurso de prefeitura em SC

Por  | 

Pouco mais de duas semanas após ser deflagrada a operação “Conta Zerada”, o MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) denunciou seis pessoas pelo desvio de recursos da prefeitura de Major Vieira, no Planalto Norte catarinense.

Uma delas é a contadora o município, acusada de ser a líder e de pagar 285 boletos pessoais com o dinheiro da prefeitura. Ela foi presa no dia 21 de setembro, durante a operação “Conta Zerada”. De acordo com a denúncia, o grupo se organizou e dividiu tarefas para desviar recursos da prefeitura.

Além da contadora, o marido dela, o tio do marido e outros servidores faziam parte do esquema. Segundo a investigação e a acusação do MPSC, o grupo se apropriava dos recursos municipais de diversas maneiras, a principal delas, por meio de pagamento de boletos pessoais, familiares e de comércios que pertenciam à contadora e ao marido. Além disso, o grupo também realizava transferências simuladas para pessoas jurídicas também de propriedade dos acusados e para contas pessoais.

De acordo com o MP, o grupo cometeu, ao menos, três tipos de crimes contra o município: desvio de recursos públicos por meio de pagamento de boletos bancários, transferências bancárias com recursos do município para contas pessoais e também foram emitidas duas folhas de cheque com recurso do município. Os seis são acusados, ainda, de lavagem de dinheiro.

A contadora já havia sido alvo de investigação em abril, quando o Ministério Público investigou o desvio de quase R$ 600 mil dos recursos municipais. Flagrada, ela teria mudado a maneira de agir e, ao invés de transferir dinheiro para sua conta pessoal, começou a pagar suas despesas, as da família e as das empresas com recurso público.

O pedido do MPSC é de que além da esfera criminal, a contadora e o marido tenham que ressarcir o município em quase R$ 1,5 milhão pelos danos e prejuízos causados ao município, além de danos morais à população.

 

 

Fonte: ND+