Geral

Secretário da Saúde recebe projeto da nova torre do Hospital Regional de Rio do Sul

Por  | 

O governo do Estado, através do secretário da Saúde, André Motta Ribeiro, sinalizou um aporte financeiro para a construção da nova torre do Hospital Regional de Rio do Sul. O compromisso foi assumido durante audiência nesta quarta-feira (6), intermediada pelo deputado estadual Milton Hobus, que contou com as participações do presidente da diretoria da Fusavi, Osmar Peters; do 2º vice Claudio Ropelato; e do presidente do Conselho Curador, Giovani Nascimento. Na oportunidade foi entregue o projeto da construção da nova torre com quase 28 mil metros quadrados, num total de 14 andares.
O secretário colocou que o governo Carlos Moisés é municipalista e por essa razão depois de analisado o projeto e a sua viabilidade técnica, os recursos devem ser liberados. “Todos aqueles projetos que fazem sentido para a população catarinense contam com o nosso apoio”, acrescentou. O deputado destacou que a nova torre é uma necessidade já que o prédio atual não sofreu alterações desde 1994 quando da sua inauguração. “Na ocasião do lançamento da pedra fundamental garantimos o repasse das emendas impositivas de 2022 e 2023 no valor total de R$ 10 milhões”.
O presidente do Conselho Deliberativo da Fusavi, Giovani Nascimento, lembrou na oportunidade que o Hospital Regional não é apenas de Rio do Sul e do Alto Vale do Itajaí, mas de Santa Catarina. Por essa razão para que possa expandir as especialidades, é necessária a ajuda do governo. “Hoje atendemos uma população em torno de 300 mil habitantes e não temos mais espaço”. “Temos os mesmos 12,9 mil metros quadrados da época da sua construção e os 194 leitos são insuficientes para atender a demanda”.
O presidente da diretoria, Osmar Peters, considerou como positiva a audiência. Por isso acredita que o sonho de ampliação do hospital será concretizado. “Certamente vão me chamar de louco pelo desafio de lançar a pedra fundamental até porque não temos dinheiro em caixa para dar início”. O atual 2º vice, Claudio Ropelato, que vai suceder Peters a partir de janeiro, destacou que esse aporte financeiro será o passo inicial. “Com certeza a comunidade também dará a sua parcela de contribuição como já ocorreu na construção do prédio atual”, acrescentou.